O Departamento de Estudos Latino-Americanos (ELA) é uma subunidade acadêmica da Universidade de Brasília (UnB), vinculada ao Instituto de Ciências Sociais (ICS) e abriga a Habilitação em Ciências Sociais do curso de Graduação em Ciências Sociais e o Programa de Pós-Graduação (Mestrado Acadêmico e Doutorado) em Ciências Sociais - Estudos Comparados sobre as Américas (PPGECsA).

____________________________________________________________________________

Seleção para o Programa de Pós-Graduação em Ciências Socias - Estudos Comparados sobre as Américas

Divulgação da Homologação das Inscrições - Edital 001/2019

Clique aqui

 _____________________________________________________________________________

Seleção para o Programa de Pós-Graduação em Ciências Socias - Estudos Comparados sobre as Américas

Período de inscrições: 05/08/2019 a 07/10/2019

Mais informações no link abaixo:

Edital 001/2019 para Seleção de Mestrado e Doutorado para ingresso em 1º/2020 no Programa de Pós-graduação em Estudos Comparados sobre as Américas (PPGECsA)

_____________________________________________________________________________

 
Nota de repúdio aos cortes orçamentários das universidades públicas e em defesa das Ciências Sociais e Humanas
Nós, estudantes do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais – Estudos Comparados sobre as Américas (PPGECsA), expressamos profunda indignação e preocupação com os cortes impostos pela Presidência da República e pelo Ministério da Educação ao sistema público de educação do país, especialmente, ao orçamento das Instituições de Ensino Superior. Por isso, nesta quarta-feira, dia 15 de maio, estaremos nas ruas de Brasília manifestando-nos em solidariedade a todas e todos os estudantes, pesquisadores e professores afetados pelos recentes ataques à educação e à produção de conhecimento em todo o Brasil. Apresentaremos os motivos que embasam nossa adesão sem hesitação ao movimento em defesa da pesquisa e da educação pública, gratuita, de qualidade e transformadora. 
O montante bloqueado pelo governo já alcançou o total de R$ 5,7 bilhões, mas a previsão é de que esses valores ultrapassam o patamar de R$ 7 bilhões. Estes cortes atingem duramente as universidades públicas, que correm o risco de fechar as portas, bem como a educação básica, área que o governo dissera priorizar .
O investimento realizado, ao longo da história, no ensino superior representa um papel fundamental no desenvolvimento e ampliação da ciência no Brasil. Ao determinar, de forma abrupta e arbitrária, uma gigantesca redução dos recursos destinados à educação, o Governo Bolsonaro fere o princípio Constitucional de Autonomia Universitária, previsto no artigo 207, além de colocar em risco toda produção científica nacional e, portanto, o desenvolvimento e o futuro do país. 
O volume e a relevância da produção científica da Universidade de Brasília (UnB) coloca-a entre as melhores universidades do Brasil e da América Latina. Atualmente, a universidade conta com mais de 300 cursos de graduação e pós-graduação, além de uma comunidade universitária de  estudantes, pesquisadores/as, professores/as, técnicos/as e colaboradores que ultrapassa 50 mil pessoas.
Sem esses recursos, todas as universidades públicas e demais Instituições Federais de Ensino Superior brasileiras terão dificuldades para manter serviços básicos de manutenção, como segurança, luz e água, o que pode inviabilizar seu funcionamento em um  futuro próximo. Além desses cortes, o governo tomou a decisão extrema de bloquear bolsas de pesquisadores/as das pós-graduações, prejudicando o andamento de pesquisas importantes em todas as áreas do conhecimento e colocando em risco a sobrevivência física e emocional de, pelo menos, 126 pesquisadores apenas na UnB, e de milhares de outros em todo o país.
Entre os anos de 2014 e 2017, a UnB produziu 15.578 publicações em periódicos qualificados, sendo mais da metade internacionais e quase um terço com as notas máximas de avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). A universidade desenvolve ainda programas de extensão nas áreas de educação, saúde, trabalho, meio ambiente, cultura e direitos humanos e justiça, os quais  têm impacto direto para a população do Distrito Federal.
Somente no Programa de Pós-Graduação de Ciências Sociais – Estudos Comparados sobre as Américas, ligado ao Departamento de Estudos Latino-Americanos, são desenvolvidas pesquisas de grande relevância social, em diferentes campos e áreas do conhecimento, sobre temas como democracia, desenvolvimento, imigração, integração regional, segurança pública e políticas públicas de soberania alimentar, justiça reparatória, ações afirmativas, saúde indígena, entre outros vários temas. De 2005 a 2018, foram produzidas 125 dissertações de mestrado e, de 1992 a 2018, 158 teses de doutorado, estudos que ajudam a capacitar profissionais que depois atuarão não apenas  junto às universidades, mas também inseridos na sociedade civil e a órgãos governamentais e organismos internacionais, onde atuam na proposição e implementação de ações que buscam resolver problemas e desafios sociais complexos.
Além dos cortes, o governo Bolsonaro procura desvalorizar o ensino e a pesquisa nos campos da Sociologia, Antropologia, Ciência Política e Filosofia. Claramente motivadas por um projeto ideológico de destruição de qualquer pensamento crítico ou transformador, as últimas medidas governamentais, que suscitaram repúdio de importantes entidades nacionais e internacionais, expressam a total ignorância do presidente e de seus ministros quanto à importância das pesquisas na  vida cotidiana e para a construção de um futuro mais justo para o conjunto da sociedade brasileira e latino-americana.
Refletir sobre a humanidade e construir entendimentos sobre nossas sociedades não podem ser funções exclusivas dos mais ricos. A elaboração de políticas públicas de interesse social, bem como sua execução e avaliação, dependem de pesquisas desenvolvidas por profissionais das áreas supracitadas e provindos de diferentes estratos, camadas e classes sociais. A oferta de bolsas é fundamental para a garantia do acesso de democrático e não-elitizado da pesquisa num país tão desigual como o Brasil. 
Em qualquer governo preocupado com a construção de um país melhor e mais justo, as Ciências Humanas e Sociais devem ser tratadas como áreas estratégicas, visto que auxiliam e subsidiam a tomada de decisão do Estado e de todos os atores sociais, além de impactarem positivamente as mais diversas áreas da vida em sociedade.
Brasilia,  14 de maio de 2019
Corpo discente do PPGECsA/ELA/UnB
____________________________________________________________________________

   alas peru 2019

Convocatória dos grupos de trabalho do Congresso, clique aqui!

Mais informações sobre a ALAS, clique aqui!

Eventos realizados

logo col amer comp

repam mini

  • Logo Clacso 2019

  

logo unb

 

logo facebook

 

logo twitter

 

logo local